+351 210 001 617 (Lisboa) | +351 289 098 720 (Faro)

Algarve conquista 40% do total de dormidas turísticas nacionais

Agosto apresentou aumento de 4,4% nas dormidas de residentes e de 2,7% no rendimento médio por quarto disponível.

Em agosto de 2018 registou-se 2,5 milhões de hóspedes que proporcionaram 7,7 milhões de dormidas, menos 2,2% e 2,5% (respetivamente) do que julho passado.

Nos primeiros 8 meses do ano, o número de hóspedes aumentou 1,4% mas as dormidas apresentaram uma diminuição de 0,5%.

Entre janeiro e agosto, o mercado externo decresceu 2,2% no número de dormidas, uma tendência confirmada em agosto, com as dormidas de não residentes a diminuírem 4,9%, correspondendo a 5 milhões de dormidas.

O mercado interno apresentou melhores resultados, crescendo 3,7% nos primeiros oito meses do ano e 4,4% em agosto (+2,2% em julho), o que corresponde a 2,7 milhões de dormidas.

A estada média (3,13 noites) diminui 2,2% com a redução da estada média de não residentes (-3,0%), ainda que a de residentes tenha aumentado ligeiramente (+0,3%).

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) foi 90,2 euros em agosto, aumento de 2,7% (+5,2% em julho). O Algarve registou o RevPAR mais elevado (129,3 euros).

Os proveitos totais desaceleraram para um crescimento de 3,5% (-1,9 p.p. face ao aumento de julho), atingindo 522,5 milhões de euros

Os proveitos de aposento também cresceram 3,5% (-2,7 p.p. comparativamente com a subida em julho), ascendendo a 408,4 milhões de euros.

Mercados externos

Os maiores crescimentos foram registados pelos mercados norte-americano (+27,9%), canadiano (+20,9%) e brasileiro (+15,6%). Nos primeiros 8 meses do ano, destaca-se o crescimento dos mesmos mercados (+23,1%, +19,6% e +12,1%, pela mesma ordem)

De resto, todos os restantes 15 principais mercados externos registaram uma diminuição nas dormidas em agosto com os britânicos (20,2% do total) a diminuírem 12,3%; os espanhóis (16,8% do total) a decrescerem 1,1%; os franceses (11,5% do total) menos 8,1%; e os alemães (9,5% do total) menos 8,9%.

Entre janeiro e agosto, estes mercados confirmam a queda: menos 9,4, 1,0%, 2,1% e 3,9%, respetivamente.

Por região

Nas dormidas de não residentes, em agosto, registaram-se crescimentos apenas no Norte (+2,7%) e Alentejo (+0,5%). Os decréscimos mais acentuados ocorreram no Centro (-13,6%), Algarve (-7,2%) e RA Madeira (-5,6%).

Desde o início do ano, realça-se o crescimento no Alentejo (+10,1%) e no Norte (+6,3%) e, em sentido contrário, o decréscimo no Centro (-10,5%).

A taxa líquida de ocupação-cama (73,8%) reduziu-se 2,0 p.p. (-2,3 p.p. em julho), com o Algarve e a Madeira a apresentarem as taxas de ocupação mais elevadas (81,1% e 80,1%, respetivamente).

 

Fonte: INE