+351 210 001 617 (Lisboa) | +351 289 098 720 (Faro)

Dormidas de residentes cresceram 10% em outubro

Em outubro o número de hóspedes aumentou 0,7%, com as dormidas de residentes a crescer 10% e os proveitos totais 2,6%.

Os estabelecimentos hoteleiros e similares registaram 2 milhões de hóspedes, correspondendo a um crescimento de +0,7% apesar de as dormidas em outubro terem registado uma ligeira desaceleração de -0,1%, equivalente a 5,4 milhões de dormidas.

Apenas as dormidas em hotéis, apartamentos e aldeamento turísticos apresentaram crescimento (1,0%, 1,1% e 0,8%, respetivamente).

 

Dormidas

O mercado interno foi o mais relevante, apresentando um aumento de 10,8%, equivalente a 1,3 milhões das dormidas registadas em outubro. Desde janeiro até outubro as dormidas de residentes aumentaram 5,1%.

Em outubro, os mercados externos diminuíram 3,2% (-4,5% em setembro), uma tendência vista desde janeiro: nos primeiros dez meses do ano as dormidas de não residentes diminuíram 2,5%.

O Norte e o Alentejo foram as regiões que apresentaram melhor evolução em dormidas (+6,1% e +5,5%, pela mesma ordem). A maior redução foi a região Centro com -6,8%.

 

Mercados externos

Os quinze principais mercados emissores (Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Países Baixos, Brasil, EUA, Irlanda, Itália, Polonia, Bélgica, Suíça, Suécia, Canadá, Dinamarca) representaram 86,6% das dormidas de não residentes em outubro.

O mercado britânico, alemão e francês, tal como tem sido a tendência desde o início do ano (-8,7%, -4,4% e -2,4%, pela mesma ordem), em outubro recuaram 2,3%, 7,3% e 2,9%, respetivamente.

O mercado espanhol, pelo contrário, tem vindo a crescer, +12,4% em outubro e +1,6% desde janeiro.

Em outubro registam-se também crescimento para os mercados norte-americano (+10,4%) e canadiano (+14,3%). Desde janeiro até outubro, os mesmos mercados apresentaram crescimentos de +19,4% e +16,8%, respetivamente.

 

Estada Média

A estada média diminui 0,8% para 2,70 noites, influenciada pela diminuição da estada média dos não residentes que caiu -1,2%. A estada média dos residentes aumentou +4,3%.

O Alentejo, RA Madeira e Norte foram as regiões com aumentos de estada média (+3,8%, +1,3% e +1,2%, respetivamente), e o Centro apresentou diminuição (-3,5%).

Na RA Madeira e no Algarve, a estada média foi de 4,93 noites e de 4,41 noites, pela ordem.

 

Taxa de ocupação

A taxa líquida de ocupação-cama em outubro foi de 53,8%, reduzindo 0.8% (-1,4% em setembro). Apenas no Alentejo e no Norte se registaram aumentos de 1,7 % e +1,6%, respetivamente. A maior redução ocorreu no Centro (-3,6%).

 

Proveitos

Os proveitos totais cresceram 2,6% (para os 332,1 milhões de euros) e os de aposento 1,7% (para os 239,8 milhões de euros) em outubro. Crescimentos de +1,4% e +2,9% em relação a setembro, respetivamente.

A região com maiores proveitos foi o Norte (+14,5% nos proveitos totais e +15,8% nos proveitos de aposento) e RA Açores (+6,8 e +10,9%, pela mesma ordem).

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) ficou em 53,8 euros em outubro, que foi um aumento de 0,8%. A AM Lisboa continua a registar o RevPAR mais elevado (93,9 euros), no entanto, a região Norte e RA Açores registaram aumentos no RevPAR de +12,8% e +8,0%, respetivamente.

 

Fonte: INE