+351 210 001 617 (Lisboa) | +351 289 098 720 (Faro)

Governo reforça apoio a startups

O Governo lançou, no passado dia, 9 de julho um conjunto de novas medidas de apoio a empresas na área tecnológica e turismo, bem como, financiamento ao investimento estrangeiro.

Captar investimento estrangeiro é um dos objetivos das medidas apresentadas. Será criado um fundo de coinvestimento internacional de 200 milhões de euros (100 milhões de euros de Portugal + 100 milhões do estrangeiro) para sediar fundos de capital de risco em território nacional. Gerida pelo IFD (‘Banco de Fomento), esta medida vai permitir que os fundos possam investir em várias empresas que estejam em fase de crescimento acelerado.

O ADN Start Up vai financiar as startups, que tiverem até quatro anos, e que tenham um mínimo de 15% de capitais próprios. Cada empresa pode receber até 50 mil euros numa primeira fase. As injeções de capital serão complementadas com linhas de cofinanciamento para que incubadoras e aceleradoras possam investir em startups e ainda um esquema de transformação de posições nas startups em empréstimos a médio e longo prazo. Será também criado um incentivo fiscal para que as startups com menos de seis anos possam reter os seus talentos.  

O KEEP - Key Employee Engagement Program - para empresas de base tecnológica com menos de seis anos que consigam competir com outras empresas no recrutamento e retenção de quadros altamente qualificados.  Segundo o Ministério da Economia, «Através desta iniciativa, as 'startups' poderão pagar aos seus trabalhadores com participações em capital da empresa, sendo que os ganhos resultantes das participações sociais pelos trabalhadores estão isentos de IRS.»

Criação do Tech Visa, um visto destinado a trabalhadores qualificados vindos de países de fora do espaço Schengen e a realização de um balcão bilingue (português e inglês) que apoie os empreendedores na criação da sua empresa no território português.

O Vale Incubação, que se destina a empresas com menos de um ano, na área do empreendedorismo vai ter candidaturas em contínuo e aumentar o valor máximo de apoio para 7.500€, excepto para startups com sede na região de Lisboa (com o apoio a ficar-se pelos 5 mil euros). O próximo aviso de candidaturas será aberto ainda durante este mês de julho, segundo o Governo.

Vai ser criado um centro de inovação no Turismo, no qual vai nascer a Digital Tourismo Academy, um programa de capacitação de empresas turísticas para o digital. Este centro exclusivamente dedicado às startups do turismo “terá como missão promover a inovação no setor do Turismo, apoiando o desenvolvimento de novas ideias de negócio, o desenvolvimento e experimentação de projetos e a capacitação das empresas no domínio da inovação e da economia digital”, refere fonte oficial do Ministério da Economia.

Será ainda criado o Startup Center, uma plataforma digital de mapeamento das startups e das incubadoras nacionais, que vai incluir informação centralizada sobre todo o tipo de linhas de apoio disponíveis para este ecossistema. Esta plataforma atribui aos empreendedores e startups o pitch voucher, uma senha de acesso que permite a estas empresas entrarem em contacto nesta rede e desenvolverem relações de financiamento e novos clientes, bem como programas de mentoring.

Estas e outras medidas serão implentadas nos próximos meses, de acordo com o Governo.

 

Fontes:

Expresso

DN.pt

Dinheirovivo.pt